AS DIGITAIS DE DEUS


Impressões digitais constituem uma prova contundente. Elas revelam quem tocou no objeto ou quem esteve presente em determinado local. As digitais direcionam as investigações e são usadas nos tribunais como evidências para um julgamento. Elas afirmam e confirmam a autoria de certo ato. Elas servem tanto para condenar quanto para inocentar.

As digitais de Deus estão presentes no universo. O salmista afirma: “Os céus declaram a glória de Deus, o firmamento proclama a obra das suas mãos” (Sl 19.1). “Quando contemplo os teus céus, obra dos teus dedos...” (Sl 8.3). As mãos de Deus também deixam gravadas suas digitais na vida de seus filhos. Como disse o salmista: “Tu me cercas, por trás e pela frente, e pões a tua mão sobre mim” (Sl 139.5).

Deus deixa suas digitais de propósito. Ele não tem nenhum crime a esconder; ele não precisa temer pelas consequências de Seus atos. Pelo contrário, ele quer que as provas apontem para a sua presença e para suas intervenções. Faz isso para que os homens reconheçam quem ele é. Em meio às pragas lançadas contra Faraó e o Egito – cujo propósito era manifestar a grandeza e o poder de Deus – os magos dizem a Faraó: “Isso é o dedo de Deus” (Êx 8.19). Eles viram nas pragas as digitais de alguém maior do que eles e suas mágicas; alguém com quem não conseguiam competir.

As digitais de Deus são deixadas propositalmente na criação, na história da humanidade e nas vidas de seus filhos. Elas manifestam a soberania de Deus. Revelam o poder divino de criar, transformar, intervir ou determinar os acontecimentos. Somos sábios quando identificamos estas digitais em nossa própria vida e história. Isso nos conforta e estimula por sabemos que Deus está ativo e envolvido. E sempre que ele o faz os resultados são eternos.

Há poucos dias o Secretário Geral da ONU fez a seguinte afirmação: “Esta pandemia colocou o mundo de joelhos.” Da sua perspectiva o mundo está sendo derrotado, o que é verdade. Só lhe falta chegar à mesma conclusão dos magos do antigo Egito: “isso é o dedo de Deus.” Isso faria com que, em vez de procurar culpados, se buscasse saber o por quê e o para o quê Deus está intervindo desta forma da história. Como nós, cristãos, cremos que Deus é soberano e conduz soberanamente a História (ver Ef 1.10), suas digitais precisam ser procuradas nos acontecimentos deste inesquecível ano de 2020.

Mas nos voltemos para nossas histórias particulares. Deus não trata apenas com o mundo, numa ação “por atacado”; ele também trata individualmente com seus filhos, isto é, com você e comigo. O que estes tempos em que o mundo foi posto de joelhos, derrotado, tem significado para você como filho de Deus? Tem percebido o cuidado, provisão, proteção e cuidado do Pai sobre sua vida? Tem desfrutado da sua companhia? Já notou que a interrupção da correria e do ativismo a que estávamos acostumados tem sido uma forma do Pai lhe dizer: “Aquiete-se e saiba que eu sou Deus” (Sl 46.10)?

Quais tem sido as digitais de Deus na sua vida nestes últimos seis meses?

Talvez nessa semana o Senhor proporcione a você uma experiência especial. Permita que as digitais dele fiquem impressas em seu coração. Isso vai ajudar você a adorar o Senhor mesmo que tenha de chorar.

As digitais do Pai são sinal de Sua soberania. Mas também de Seu amor.

Victor H. Michel (18/09/2020)

15 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo